Pais, os publicitários da Vida !

Publicado em 06/06/2016

      Se a publicidade consegue atingir crianças de dois meses a dois anos sem muito esforço, pelo fato de nesta idade a criança necessitar do objeto transicional para estabelecer o processo de separação dele com a figura materna, a publicidade entra diretamente na alma da criança sem juízo de valores e sem bloqueio de censura pessoal. Assim, podemos pensar que os pais podem transformar-se nos maiores publicitários da defesa pela vida na mente de seus filhos.

     Se o ambiente familiar é de paz, tranquilidade e aconchego, onde a música que se ouve dentro de casa; os conteúdos que se assiste na TV e as trocas de afeto são uma frequência, a vida estará sendo “vendida” no imaginário da criança, como um valor que ele desejará experimentar, defender e viver.

    Cuidar para que a casa tenha ambiência de paz e afeto, filtrando tudo o que entra  desde pessoas até conteúdos televisivos e radiofônicos, como também estilos musicais; são fatores que construirá uma criança potencialmente desejosa de viver a paz e a vida na sua plenitude.
 
    Aquilo que os pais desejam que seus filhos sejam poderá interferir neles desde bebê. Dizer conteúdos bons, mensagens positivas e alegres, são mecanismos que colocam os pais como os principais publicitários da vida junto aos filhos. Lógico que não quero com isso fazer a apologia dos pais perfeitos e filhos maravilhosos. Sabemos que no cotidiano de uma família as brigas acontecem e os palavrões também. Mas quando as situações adversas são superadas por comportamentos de respeito e uma cultura da paz, estes episódios são fatos isolados e não simplesmente um hábito.

     É preciso assumir assim a paternidade e maternidade responsável e ter sobre a família o controle sobre o processo educacional dos filhos. Saber o que se deseja para o futuro da família é um bom início para mudanças de atitudes.


Após está breve reflexão, gostaria de saber se você também concorda que os pais são o principal veículo educacional dos filhos? Você têm alguma experiência neste sentido? (Deixe seu comentário abaixo)


Compartilhe:

 




Visitas: 283

Entre em contato