Feto, um ser indefeso

Publicado em 06/07/2016


O Plebiscito sobre o desarmamento no Brasil levou o povo a escolher pelas armas,  revelando que o Brasil Católico (de nome) precisa sentir-se seguro, pois o Governo não possibilita a garantia de Segurança Pública. Logo estará chegando até nós, um futuro Plebiscito para que o Brasileiro decida sobre o Aborto. 

           Na ótica da ciência, um ser humano existe a partir da fecundação; já para a embriologia, só existe vida quando ultrapassa o estágio embrionário. Algumas religiões não se posicionam a este respeito, já as cristãs vêem que a vida humana acontece a partir da fecundação, mesmo tendo muitos cristãos que se utilizam do aborto, quando precisam se livrar de uma gravidez não planejada. Mas, como já disse Gandhi: - “Admiro Jesus Cristo mas não admiro os Cristãos”. 

Meu amigo de longa data, o Jurista Dr. Helio Bicudo, aquele que lutou contra o Esquadrão da Morte e já recebeu o prêmio de Direitos Humanos no Brasil, diz que o Aborto é um ato criminoso, pois se trata de alguém que decide sobre a vida de quem não pode se defender, no caso o feto, este ser recém fecundado.

Há 15 anos, aproximadamente, o Conselho Federal de Psicologia, do qual fui  Conselheiro Efetivo pelo Estado do Espírito Santo por oito anos, realizou pesquisa entre os Psicólogos do Brasil para saber da opinião dos mesmos sobre o Aborto. A maioria absoluta dos Psicólogos foi contra, pelo argumento que pela Ciência da Psicologia, está comprovado a vida e a influência psíquica no feto a partir da concepção. Uma posição científica e não moralista. 

Mas o Aborto está na onda da mídia e na pauta do dia, lógico que a partir das terças-feiras, porque na segunda, a pauta do dia da imprensa Brasileira é o Futebol.

Já estou imaginando os argumentos dos que defenderão o sim ao Aborto e o não ao Aborto: a turma do sim, trará uma mulher estuprada, chorando e desesperada ou quem sabe outra mulher com um filho no ventre que esteja com uma má formação congênita, com prognóstico de a criança  nascer  “sem olhos, orelha, nariz e braços”, vão dizer que esta coisa  de ir contra o Aborto é coisa de Padres. Os defensores do não ao Aborto trarão os argumentos da Ética pela vida, do amor ao ser humano, com rostos santificados e espiritualizados, os “caras” de conservadores. Numa sociedade Brasileira em que não dá garantias de vida digna ha mais de 40 milhões de pessoas na pobreza absoluta e outros quase 100 milhões na faixa de risco social, o que torna um incentivo às mulheres e casais evitarem filhos porque estes são os culpados por todas as dificuldades econômicas do País e das famílias, tanto que as mulheres tomam “remédio” para não engravidar. Porém, remédio se toma para evitar doença, daí imaginamos que ter filho é uma doença, o que poderemos esperar de um plebiscito sobre Aborto? Vai dar a lógica do sim ao Aborto. A lógica da morte.
Estaremos equiparados às nações desenvolvidos, como Estados Unidos e alguns países da Europa onde o Aborto está legalizado. Com eles, estaremos nos aliando às tiranias humanas. E a maior delas, na modernidade, escolher sobre a morte de quem não pode se defender, o feto.

Se o Aborto passar, poderemos esperar outros  projetos que autorizarão a morte dos nossos semelhantes, quem sabe, como os nazistas acreditavam em raça pura, teremos um dia um outro movimento  para a eliminação de pessoas com deficiência, e assim por diante.





Compartilhe:

 




Visitas: 439

Entre em contato