Ansiedade - Um bichinho do amanhã

Publicado em 13/07/2016


O Transtorno de Ansiedade Generalizada é outro transtorno que está na lista dos diagnósticos médicos e têm levado muita gente ao afastamento do trabalho.


Geralmente emerge em situações de trabalho estressante, crises econômicas na saúde financeira de uma empresa e dos extratos negativos de contas bancárias pessoais. Mas estas são situações que geralmente faz emergir o sintoma se analisarmos o histórico dos pacientes com diagnóstico de TAG veremos que os emergentes situacionais financeiros ou de acúmulo de trabalhos é apenas a gota d’água no copo que já estava cheio. Pois o TAG é um transtorno de estrutura comportamental que a pessoa  desenvolve ao longo de sua história pessoal.

Por isso que fazemos a clássica pergunta no caso TAG: - “ Quem veio primeiro, a ansiedade ou a situação que desencadeia a ansiedade?”

Geralmente os portadores de TAG insistem em dizer que foi a situação de trabalho, argumento com mais frequência dos empresários, que sempre justificam o TAG pela característica empresarial. Comentários do tipo: ”Empresário é assim.”

Aliás, podemos pensar se a escolha de ser um empresário já não faz parte de um perfil ansioso, ou de estrutura ansiosa, que muitas vezes é encoberta com conceito de empreendedorismo. Mas empreendem tanto que chega a um ponto da vida que se sentem sufocados por tantas frentes que criaram de trabalho.

Podemos dizer de maneira bem simples, que a ansiedade é aquele “bichinho”, como o de pé, que fica insistindo em colocar o pensamento no futuro. É a não localização com o presente, mas a fixação com o futuro.

TAG têm cura, mas é preciso disciplina no monitoramento medicamentoso e Psicoterapêutico. É um transtorno difícil de ser trabalhado, pois o paciente anseia a cura para amanhã. Aliás, vivem da certeza que a cura é rápida. Levando ao atropelamento do tratamento.

Aqui vale o ditado popular: "o apressado come cru!”



Compartilhe:

 




Visitas: 383

Entre em contato