Transtornos emocionais, a possível cura

Publicado em 14/07/2016


A psiquiatria evolui na forma de diagnosticar as doenças emocionais. No passado tínhamos diagnósticos unilaterais para estruturas comportamentais que se apresentavam com quadros dissociativos, em que o paciente perdia o contato com a realidade. Era  a estigmatização do conceito psicose, ou “loucura”.


           Tomamos para ilustrar este tipo de diagnóstico a psicose maníaca depressiva (PMD), que ao ser assim definida já carregava em si um prognóstico de pouca evolução da melhora dos sintomas e ao mesmo tempo um tipo de tratamento de manutenção, onde o paciente deveria conviver com a patologia para o resto da vida.


           Hoje, ao se diagnosticar quadros emocionais, temos a configuração na nomenclatura para transtornos emocionais, em que o diagnóstico apontaria para um estado ou situação de doença, porém que possui um prognóstico de cura. No exemplo citado (PMD), temos uma nova nomenclatura Transtorno Bipolar. Enfim, o novo olhar evoluiu do processo de algo fixo na estrutura da personalidade para transtornos ( situação, momento, fase). Com este olhar possibilita aos pacientes visualizar caminhos de cura, ou de boa convivência com o transtorno. Com esta nova visão das doenças emocionais, temos a quebra do paradigma da “loucura” para uma postura de acolhida e apoio a um cidadão que passa por uma fase ou estado de transtorno, podendo estar vivendo no seu cotidiano com produtividade no trabalho, estudos e coletividade.


Porém, para que os diagnósticos de transtornos emocionais possam evoluir para uma condição de cura, é necessária a disciplina ao tratamento que consiste em um bom monitoramento medicamentoso com um médico especialista (Psiquiatra) e psicoterapia de suporte contínuo até o final do tratamento, através de um especialista em Psicologia Clínica (Psicólogo), até quando já não houver necessidade medicamentosa ou até quando o paciente já conseguir caminhar com as próprias pernas. Remédio não pensa, na psicoterapia que o paciente terá seu espaço para pensar a origem e observar a evolução do transtorno para melhor.


Cuidado! Ao procurar um psicólogo para psicoterapia verifique se o mesmo é registrado no CRP ( Conselho Regional de Psicologia). Nos Estados Unidos, um Psicólogo só pode Clinicar após obter o título de Doutor. Lembre-se, psicanálise não é profissão, é uma técnica utilizada pela psicologia para área clínica. Assim também deve ser procedido com a busca de um profissional médico, que deve ser registrado no CRM e especialista em Psiquiatria.


Compartilhe:

 




Visitas: 266

Entre em contato