O peixe, a Minhoca e o Anzol | O que isso quer nos dizer?

Publicado em 27/07/2016

Olha só, uma pequena história. Quem sabe de um momento que já ocorreu na minha, na sua, na vida de muitas pessoas e que agora vai nos levar à um ensinamento. 


Em um dia qualquer, o peixe, mergulhado  em um límpido riacho de águas cristalinas, olha  para uma bela minhoca em movimento e muito agitada,  um pouco  abaixo da superfície do riacho. Vermelhinha, com estilo sarada, pensou o peixe : “- uh!uh! vou saborear uma linda minhoquinha.”

A minhoca, por sua vez, estava assustada. Com muita dor por causa do anzol do pescador que atravessava todo seu corpo. Ao colocar a minhoca no anzol  assim pensou o pescador: “ - Ela tem que ficar bem ajustadinha no anzol, coitadinha, mas vou mesmo é enganar o danado do peixe.”

O peixe, faminto abocanhou a minhoca, sentiu de imediato que aquela seria realmente saborosa.  “-Acho que desta vez vou fazer um bom almoço”. Que nada, logo em seguida, foi fisgado num só golpe por uma vara bem domesticada, conduzida pela destreza do pescador que não perdeu tempo ao perceber que o peixe tinha mordido a isca (minhoca). O peixe vê sua boca rasgando de fora a fora, tamanha a vivacidade do pescador. “ Doce ilusão”, imaginou o peixe. “- Estava muito bom para ser verdade!”, falou o coitado do peixe. A minhoca nesta altura já não podia dizer mais nada.

Em pouco tempo, o faminto do peixe, que comeu a minhoca, estava no espeto do pescador, que na beira do riacho tratou de assar a vítima da sua bem sucedida empreitada.

“- Eta danado de peixe bonito, você caiu na minha!”, disse o pescador.

Processos de sedução como este, acontecem diariamente conosco. Se não estivermos atentos, somos frequentemente fisgados por propostas que parecem mas não são. E quando nos damos conta, fomos entregues pelo impulso, a ilusão e a fome. Alguém em algum lugar sempre estará esperando pacientemente para fisgar-nos, nos momentos em que estivermos mais sedentos. Nestes momentos em que não pensamos, fazemos como o peixe, atuamos instintivamente.

A sociedade de consumo é o pescador, revestida de muita publicidade. A minhoca é o produto (religiões milagrosas de compra e vendas de almas, sucesso financeiro fácil, lazer sem compromisso, paixões sem restrições, etc.). O peixe, eu, você, seu ente querido. Por isto, fique ligado. Você poderá terminar em um espeto Assado.


Compartilhe:

 




Visitas: 355

Entre em contato