E quando os filhos entram na adolescência?

Publicado em 04/08/2016

A entrada na adolescência reserva algumas dificuldades aos pais. A principal delas é entender o que se passa na cabeça de uma menina e de um menino no limiar dos onze anos de idade.

Geralmente os pais confundem-se na identidade dos filhos em transformação, e estes sofrem as perdas decorrentes da entrada na nova etapa de vida. Por isso, quero deixar registrado para os pais e adolescentes as três principais perdas ou LUTOS da adolescência:

PRIMEIRA - Perda da identidade de criança. Aqui o adolescente é arremetido de uma hora para outra a ver perder seus benefícios de criança. Também os pais perdem o referencial de comando sobre os filhos, que até então podiam pegar no colo e ter maior controle sobre o que eles podiam e não podiam fazer.

SEGUNDA - Perda do corpo de criança. Os adolescentes deparam-se com uma cruel alteração corporal, comandada pela produção dos hormônios sexuais, que na infância estavam adormecidos. Os membros - braços e pernas - crescem. As espinhas aparecem e a voz tende a mudar. Para os pais, o conflito se estabelece na ordem da diferenciação comportamental decorrente da produção hormonal sexual, que deixa os adolescentes mais agitados.

TERCEIRA - Perda do referencial paterno e materno. Nesta perda, tanto os pais como os adolescentes tendem à vivência de uma crise de referências, pois por parte dos adolescentes desejam novos comandos e buscam referências de condução nos grupos de iguais. Já os pais, com receio de serem taxados de caretas ou antiquados, buscam adequar seus modos e costumes, alguns até incorporam uma forma adolescente de ser.

Com as perdas inerentes da entrada na adolescência, a psicologia estipula o conceito de PSICOPATOLOGIA NORMAL DA ADOLESCÊNCIA. A bipolaridade, ansiedade, depressão, angústia, etc., são sintomas vivenciados sem fixação de um perfil definido. Assim, o normal é ser um adolescente cheio de altos e baixos no comportamento. Fico muito preocupado com diagnósticos psiquiátricos definindo patologias nesta idade. Uma idade da psicopatologia normal.

Para ir mais fundo: Leia o livro de Maurício Kinobel - ADOLESCÊNCIA NORMAL - Ed. Artmed


Compartilhe:

 




Visitas: 934

Entre em contato