A carta que gostaria de ter escrito a meu PAI

Publicado em 14/08/2016


     Antes mesmo de escrever esta carta, quero localizar ao leitor que meu pai faleceu em um acidente muito estranho. Um carro desceu desgovernado do estacionamento da Matriz da cidade de São José do Rio Pardo e pegou de cheio meu pai que estava sentado no banco da praça lendo o salmo 90 para uma senhora grávida. Ela se salvou, mas meu pai foi a óbito.

     “QUERIDO PAI MANOEL, neste dia dos pais, quero apenas agradecer o quanto você foi importante em minha vida. De tudo, lembro cenas muito interessantes. Quando chorávamos para nos levar ao seu trabalho para te ajudar. Eu e meu irmão Eda gostávamos de passar nossas tardes na sua marmoraria. Achava incrível o seu trabalho, a sua arte de esculpir em pedras e fazer coisas muito lindas. La no seu trabalho, via o senhor gritando, brigando e fazendo a sua equipe produzir muito, e ao mesmo tempo você começava a cantar, contar piadas e falar de política. Quando nos ensinava alguma coisa de seu ofício, dizia que filho de peixe peixinho é. Pois de fato tínhamos muita facilidade em trabalhar com pedra. Mas o gostoso de ir para a sua marmoraria, era a hora do  café, o  senhor nos mandava para a padaria ao lado e deixava a gente pegar umas boas broas. Nossa, que delícia. Não sei se a gente ia para lá por causa do trabalho ou por causa da hora do café, ou da padaria.

     Depois, nos ensinou a arte de ganhar dinheiro, quando nos deu as placas de inscrições para cemitério e nos pagava 50% do valor global de cada placa. O senhor nos pagava um valor como se fosse hoje R$1,00 por letra. Ai, eu e o Edson ficávamos rezando para aparecer placas de mortos ricos, que traziam textos enormes, tipo epitáfio. Aí ganhávamos muito. Como o senhor sempre era um cidadão muito bem informado, pois ouvia o tempo todo rádio de notícias, exigiu que também trabalhássemos ouvindo rádio. Ouvíamos a rádio de Aparecida, que só tinha notícias. Aprendemos com isso a valorizar a informação.

   Lembro meu querido pai, um dia  me disse: -“quem pega 1 centavo dos outros, pode pegar um milhão”, sobre suas reflexões de como ser honesto. E pela sua honestidade, sei que não se enriqueceu. Presenciei muitas negociações sua na empresa que o senhor poderia ter recebido muito dinheiro, com  políticos ou líderes religiosos, que sempre propunham algum favorecimento mas o senhor mantinha sua postura de não ter que ganhar dinheiro fácil.

    Hoje sou psicólogo graças ao senhor, que me alertou num momento crucial de minha vida. Lembro que o senhor praticamente me expulsou da sua marmoraria, quando ainda jovem queria entrar na empresa para ajudá-lo. Ai me alertara que eu gostava muito de estudar e por isso deveria continuar meus estudos. Naquele momento não aceitei e sai angustiado, mas hoje sou muito grato pela sua sabedoria. Na Universidade me mandava o valor inferior para eu sobreviver. Ficava bravo com isso, achando que o senhor era miserável. Mas essa sua atitude me fez buscar meios para ganhar um trocado a mais. Aprendi com isso a sobreviver, ganhei bolsa de monitoria e aprendi a viver sem dinheiro. Hoje, não me preocupo com a questão financeira e sei que nunca vou passar fome.

   Enfim, meu querido pai. Escrevo esta carta para o senhor, sabendo que nunca vai lê-la. Mas sei que esta carta estará sendo lida por muitos filhos que podem ter tido dificuldades com seus pais. Filhos que ficaram presos apenas nos erros de seus pais. Se eu fosse enumerar todas as cenas lindas que passei contigo enquanto estava vivo, esta carta daria um livro. Mas por hora, vou ficando por aqui. Amo muito você meu querido Pai.”

   REFLEXÃO: Para cada um que tiver a oportunidade de ler este texto, ou que me concederem um tempinho para ler, gostaria de refletir com cada um que o mais importante neste dia dos pais, mesmo sendo uma data muito comercial, logo pela manhã pensarem e lembrarem-se das muitas cenas bonitas e construtivas que ao longo de sua história com seu pai, foram gratificantes e te ajudou a ser o que você é hoje.

   Mesmo que não surjam cenas interessantes, lembre que hoje você existe graças à semente de seu Pai que te gerou.  Caso não tenha o Pai biológico, por ter sido adotado, é sempre bom lembrar que Pai também é uma referência simbólica. Aquele que se coloca como pai. E se ainda você é aquele que nem um pai adotivo teve, lembre de alguém na sua vida que se colocou na condição de pai. Ligue para ele e agradeça por tudo.


Compartilhe:

 




Visitas: 241

Entre em contato