Como interpretar seus sonhos

Publicado em 03/11/2016


No texto “O que há por trás de nossos sonhos...” descrevi brevemente sobre a importância do sonho, mas parece que ficou a sensação de que só podemos interpretar nossos sonhos se estivermos em processo de psicoterapia ou análise. De fato, este caminho é o melhor, principalmente quando a psicoterapia não é apenas com o objetivo de curar uma doença. Mas é possível sim interpretarmos nossos sonhos mesmo sem estarmos em análise.

O personagem José do Egito conseguiu utilizar do processo de interpretação de seus sonhos para prever um longo período de seca e projetar meios de armazenamento de alimentos. E esta história foi narrada  há 700 anos antes de Cristo no livro do Gênesis. Tudo bem que este livro não pode ser entendido como fato real, mas deve ser interpretado.

Se José conseguiu, você também pode. Por isso que trago aqui algumas ferramentas para ajudá-lo neste caminho muito agradável:
1. Procure nunca desqualificar seu sonho. Valorize cada cena que lembrar e sempre faça a pergunta mágica: “O que este sonho está querendo dizer para mim?”

  2. Se possível, escreva seu sonho logo após acordar, principalmente aquele que julga cheio de detalhes. Tente fazer isso bem logo acordar. Se acordar no meio da noite por causa do sonho, anote em seguida. Anote na sequência do sonho e nos detalhes, como se estivesse escrevendo um livro.

3. Depois procure observar os símbolos marcantes do sonho. Quais são? Aqueles os quais você ficou mais impressionado.

4. Com esta descrição e fazendo este mapa simbólico das imagens marcantes, tente ligar com seu cotidiano, associar com algo de sua vida pessoal. Procure eliminar as ideias de previsão, como se o sonhos estivesse te alertando de algo que vai acontecer. Procure sempre ligar com suas questões pessoais, tente não jogar para terceiros, como se o sonho estivesse falando de outras pessoas.

5. Sempre anote os sonhos e veja quais são aqueles que se repetem ou as simbologias que estão sempre se repetindo. Nestas repetições você terá mais elementos para decifrar o seu inconsciente. Lembro de uma paciente que havia perdido o marido há mais de 10 anos e toda noite sonhava o mesmo sonho com ele. No sonho, seu marido chegava à noite abria a porta de seu quarto e deitava em sua cama, indo para de baixo do lençol. Abraçava-a e dormiam o resto da noite ininterruptamente. Enquanto a paciente via o sonho como sinal religioso, buscou até entender que era o espírito do marido que estava chegando a seu quarto, principalmente porque ela recebera a notícia de sua morte na madrugada, quando ainda dormia e seu marido estava de plantão. Depois que ela passou a anotar seu sonho e associar com sua realidade, entendeu que seu sonho estava dizendo para ela que ainda não havia aceitado a morte de seu marido. Depois desta sua percepção, não teve mais este sonho significando que ela, ao decifrar o que seu inconsciente estava lhe dando como pista, elaborou esta perda e deixou de ser um fato mal resolvido. Um sonho simples, para outra interpretação mais simples ainda. Esta paciente começou sua terapia porque não estava conseguindo dormir bem. Se achava auto suficiente e acreditava que havia superado a morte de seu marido. Porém, pelo sonho, viu que ainda estava presa na noite em que havia recebido a notícia da morte, estava presa há 10 anos. Pelo sonho se libertou desta prisão, voltou a dormir bem e não precisou mais da medicação que estava tomando para dormir.

6. Lembre de que a melhor interpretação é aquela mais simples e que parece até ridícula. Se ficar procurando fazer altas interpretações, não vai conseguir interpretar nada, pois este processo é muito simples. Complexo é a forma com que o sonho vem. E vem complexo para nos dizer que o que carregamos dentro de nós é muito valioso e é só nosso.

7. Lembre sempre que interpretar um sonho é parecido com a interpretação de uma obra de arte abstrata, quando procuramos fazer interpretações miraculosas, pensamos que não estamos entendendo nada da obra de arte. Mas quando ousamos a interpretar de forma direta e simples, percebemos que a obra entra em nós e nós na obra. É preciso paquerar contemplativamente uma obra de arte para decifrá-la. Assim também acontece com o sonho.

Quem entrar neste mundo da interpretação de seus sonhos terá um excelente meio preventivo às doenças emocionais, principalmente a depressão. Pois ao interpretarmos um sonho, estamos lavando a calçada de nossa mente e impedindo que se crie limbo de sujeira que vai bloqueando nossa vida real (consciente) de nossa vida inconsciente.  Tornando-nos livres. Pacientes em processos de psicoterapia tendem a recordar mais de seus sonhos, e este é um sintoma de que o processo terapêutico está fazendo um agradável efeito à mente do paciente.



Compartilhe:

 




Visitas: 412

Entre em contato