Diferença entre Psicologia e Psicanálise

Publicado em 16/07/2015


Você precisa de um Psicólogo ou Psicanalista? Qual a diferença entre essas duas denominações? Pode ser uma questão superada, mas ainda temos muita gente que busca um Psicólogo e depois descobre que ele é um Psicanalista. 

Mas no Brasil não existe a profissão Psicanalista e com isso, se alguém se intitula Psicanalista o que de fato ele é?

A Psicologia é uma profissão reconhecida no Brasil, através de lei federal, cujo sistema de conselho que rege a profissão foi regulamentado também por lei.

A Psicanálise é uma teoria e técnica que pode ser aplicada no processo psicoterapêutico ou na forma de análise pura. Representa o encontro das partes, de um analista e de um analisando e configura-se como um espaço filosófico da busca de conhecimento pessoal. Porém, na forma direta, a psicanálise pode ser vivenciada como um processo livre de análise sem queixa de quadro patológico especificamente ou em um tratamento médico ou psicológico, cujo profissional seja formado nesta técnica específica. 

Já a Psicologia pode ser utilizar por diferentes teorias e técnicas, como: Junguiana, corporal, comportamental, cognitiva, gestalt, etc. E também é exercida em diferentes áreas como: hospitalar, educação; psicopedagogia, psicologia clínica (psicoterapias), jurídica, organizacional, etc. 

Porém, no Brasil, é comum vermos muitos psicanalistas que não são formados em uma profissão da área da saúde, que fazem atendimento clínico. Dizem que são reconhecidos na lista de profissões do Ministério do Trabalho e até possuem sindicato e conselho. Mas tudo isso não existe na forma de lei e assim não é legal. Para você ter uma ideia, nos Estados Unidos para um Psicólogo atender na área Clínica é preciso ter a titulação de doutor.

Tenho recebido muitos pais que já colocaram filhos em psicanalistas e acharam que eram psicólogos. Conheci psicanalistas que não tinham nem o 3° grau completo e fizeram um curso aos finais de semana e acreditaram que poderiam atender. Mas de fato é um exercício ilegal e a meu ver uma forma muito camuflada de vender um serviço fazendo parecer outro, ou o famoso fazer se passar gato por lebre.

Há psicanalistas que não são Psicólogos, porém frequentam círculos de Psicanálise, fizeram a análise didática por pelo menos 5 anos com sessões de pelo menos 5 vezes por semana e são supervisionados; também se sujeitam frequentemente a uma análise pessoal. Mas estes não saem divulgando seus atendimentos dentro de uma perspectiva clínica de saúde, pois entendem que sua ação não é de tratamento emocional, mas sim do relacionamento de pares para um processo interpretativo.

Sociedades mais estruturadas e filiadas à rede internacional de Psicanálise, que são grupos que mantém a fidelidade à origem da Psicanálise a partir de Freud, pela Inglaterra ou França, já estão selecionando melhor seus candidatos a ingressar para a formação em Psicanálise. Algumas destas instituições já começam a selecionar apenas quem tem a graduação em Psicologia ou Medicina.

Sabemos que tudo pode ajudar e que haverá pessoas sem graduação em Psicologia com muita capacidade de escutar e orientar pessoas. Mas entendo que é necessário termos muito cuidado ao procurarmos por um profissional para fazer o tratamento emocional. Pois podemos comparar com o seguinte trocadilho: a mulher pode até fazer um trabalho de acompanhamento gestacional com um médico oftalmologista, mas ela terá melhor atendimento se o médico for ginecologista/obstetra ou um clínico geral especializado. Assim como também com a saúde emocional, o tratamento poderá dar-se por um Psicólogo ou Psiquiatra ou por um... “psicareta”. O importante é saber quem é quem e ter liberdade de fazer a escolha. Pois como já disse Gilberto Gil, tudo pode curar. Desde que você se proponha a ser curado, até pai de santo pode ajudar.     


Compartilhe:

 




Visitas: 475

Entre em contato