Marisa Letícia, uma mulher de luta

Publicado em 03/02/2017


A notícia do falecimento de Dona Marisa, ex primeira dama do Brasil por 8 anos, me pegou de surpresa e deixou-me triste. Sempre admirei esta mulher. Nos tempos de militância no PT, muitas mulheres iam à luta, assumiam compromissos desafiadores. Achava incrível como no PT as mulheres participavam com igualdade e dignidade.

 Algumas mais fanáticas a ponto até de só usarem roupas íntimas só vermelhas, outra até com desenhos da estrela do PT. Mas muitas mulheres apresentavam-se com tranqüilidade e sabedoria. Conheci minha esposa assim, uma militante tranqüila e sempre disposta a servir, principalmente em cuidar dos militantes em situações de embates e até nas campanhas. A Dona Marisa era uma forte militante no partido e sempre estava disposta aos serviços de cuidado. Algumas mulheres mais intelectuais gastavam suas energias em estratégias e planos de ação, outras com menos formação educacional gastavam suas energias com os serviços, mas o ambiente era de igualdade, havia uma união de talentos. Dona Marisa sempre esteve no meio dos trabalhos. Tudo isso, quando o PT ainda era ingênuo, desejava mudanças. E foi desta forma que o PT cresceu e muito.

Mesmo depois, quando o PT se transforma em uma máquina eleitoral, acredito que isso se formatou mais no segundo mandato da presidência do Lula, Dona  Marisa manteve sempre na mesmo postura de serviço. Foi companheira, apoio Lula e sempre esteve ao seu lado. Ficou na sua, discreta. Mas trabalhou sim como primeira dama do Brasil, mantinha seu gabinete de trabalho e articulava muito nas questões que lhe era de responsabilidade. Não adiante querer atacar a Dona Marisa tentando dizer que depois do Lava Jato tudo que vem do PT é ruim. Ela deu aula de discrição e se comportou como uma verdadeira primeira dama. Assim também o fez a Dona Ruth Cardoso, apesar de que tinha a diferença de não ter sido tão primeira dama por ser uma estudiosa da USP na área de Antropologia. E mesmo com a Dona Ruth as mas línguas diziam que o casal Cardoso não tinha tempo de fazer sexo por que passavam a noite estudando.

Com o internamento de Dona Marisa, observei que nas redes sociais houve muitos ataques infundados. Uma arrogância da direita sem direção. Uma petulância da classe média que deseja o poder e inveja a elite e nunca se aceita como é. Uma cegueira dos que acham que a culpa de tudo de errado neste país é proveniente do PT. O Lava Jato está provando que o galinheiro está cheio de ratos. Atacar a pessoa de Marisa por causa do Lula é uma insanidade. Conheço muitas mulheres que são esposas de políticos, que se perguntar para elas se gostariam que seus esposos estivessem na política a maioria vai dizer que não. Vi muitas primeiras damas, de muitos municípios, morrerem cedo por trabalharem muito e por ficarem à parte dos bastidores da política. Nossa política é machista e nos bastidores frequentam poucas mulheres. Marisa era militante do PT, mas não era de linha de frente. Com certeza muita coisa ela não tinha nem idéia. Assim acontecem com mulheres de empresários, mulheres de juristas, mulheres de médicos, enfim, mulheres de homens do mundo dos negócios que muitas vezes até assinam documentos confiando nos seus maridos. Quantas mulheres de empresários estão com seus nomes sujos, sem que elas saibam o porquê? Ainda vemos o legado do machismo se manifestando em mulheres bem intencionada. Tempos atrás atendi uma mulher ainda jovem que estava decepcionada consigo mesma e se achando a mais burra de todas as mulheres por que seu marido tinha sido assassinado por tráfico de drogas e ela nem desconfiava de sua atividade de contravenção. E olha que era uma mulher doutora e professora universitária. Penso nisso para olhar para a citação que fizeram do nome de Dona Marisa no Lava Jato, que a família recorreu e defendeu sua imagem e dignidade. Ela como esposa de Lula, como ex primeira dama do Brasil, cumpriu seu papel de forma brilhante. Podemos dizer que é uma professora de dignidade.

 As falcatruas do Lula são dele e de todos os políticos, sem distinção. Na minha concepção é impossível estar dentro de um partido político no Brasil com cargos eletivo ou executivo sem estar conivente com a corrupção. No caso dos mortais militantes, muita gente nem imagina do que passa nos bastidores. Comparo o exercício da política ao futebol. No futebol, os cartolas roubam e muito, mas milhares de torcedores ainda têm coragem de pagar o título de sócio torcedor. Política e futebol têm uma forte semelhança: a paixão. Sei que Marisa era apaixonada por Lula, e foi fiel a escolha de estar junto com ele, viveram longa vida conjugal. Muita coisa com certeza, pelo caráter de Marisa, ela teve que engolir. Mas ficou fiel ao esposo.

Eu, particularmente, sempre soube perceber se minha atividade política era por paixão ou pela razão política. Assim, ao ver a corrupção do PT passar muito aos meus olhos,  da época ainda que o Zé Dirceu já era candidato a Deputado estadual por SP, por não ser apaixonado, deixei o PT. Mas não tive coragem de ir para nenhum outro, que são muito piores ainda...imagina!!! Mas a Dona Marisa, casada e apaixonada por lula e pelo PT, não poderia se afastar do seu esposo. Ela cumpriu dignamente seu papel.

Enfim, hoje velamos a morte de uma grande mulher.


Compartilhe:

 




Visitas: 283

Entre em contato