CARTA ÀS MÃES

Publicado em 11/05/2017


Queridas mães, todo ano vivenciamos as emoções do dia das mães. Por mais que se queira contestar esse dia, não tem jeito, mãe é sempre mãe! Por isso que neste período do ano, começamos a nos emocionar. Parece que vamos fazendo uma viagem na história, e nesta viagem a pessoa que muito nos vem à cabeça é a mãe. 

Na condição de psicólogo, sei que já cometi muitos erros e injustiças em relação ao dia das mães. Não somente a este dia, mas também ao ficar questionando-as tecnicamente. Sei que ao longo da minha carreira profissional precisei tomar posturas bem firmes para ajudar mulheres a se reencontrar com suas identidades e muitas delas eram mães. Na verdade, muitas mulheres acabam perdendo a própria identidade para viverem unicamente o papel materno. Esquecem o projeto profissional, o lazer pessoal, o romance, se esquecem da vida e vivem somente para os filhos. Mas mesmo assim preciso reconhecer que para uma mãe é muito difícil  não viver apenas o papel materno. O ser mãe atrai para a existência da mulher que gera a vida esta tendência de se viver apenas a condição materna. Por isso, que agora posso entender com mais clareza a ideia de que mãe é para sempre. Se não o faz na forma do papel maternal nas fazes em que o filho precisa ser cuidado, direcionando-o para um dia tornar-se adulto; é para sempre na forma institucional, isto é, uma vez mãe, sempre mãe. 

Na posição de mãe, vocês também são filhas e cultuam uma mãe e assim este ciclo vai se fazendo fortalecido, e com isso a família vai sobrevivendo. Hoje, sabemos que no Brasil a maioria das famílias estão esteadas em uma mulher/mãe. Mesmo com todos os projetos públicos e toda imagem publicitária querendo transformar as mulheres em um espelho de homem, negando a elas o direito da maternidade, principalmente no mundo globalizado, as mães brasileiras continuam insistindo em gerar seus filhos. 

A força do ser mãe continua mobilizando o desejo de muitas mulheres jovens há um dia ser mãe também. Mesmo com a queda da taxa de natalidade e as alterações fisiológicas, as quais as mulheres continuam sendo vítimas através da forte indústria farmacêutica de hormônios artificiais, elas continuam desejando ser mães. Independente das dificuldades em engravidar, as mulheres jovens  procuram recursos para conquistar esta experiência. 

É por esta força que nem as tramas do mercado financeiro, da moda e da ditadura da estética para o mundo feminino conseguiram eliminar, que temos que agradecê-las. Obrigado mulheres  por continuarem sendo mães! Cuidando, buscando formar cidadãos para o mundo. Que neste dia das mães vocês possam comemorar e muito. E que a cada ano possa manter viva a chama do amor materno, sendo para nós uma renovação da esperança na família. Muito obrigado a vocês mães! 


Compartilhe:

 




Visitas: 243

Entre em contato