O PROFESSOR E A SUA FUNÇÃO DE ESPELHO

Publicado em 11/09/2017


O papel do professor na vida educacional das crianças desde as primeiras séries, mesmo quando ainda estão na creche ou pré escola, carrega uma forte simbologia  para a vida dos alunos. Quem de nós não tem no imaginário um professor ou vários, para a vida toda? Pensar na escola sem professor é algo que nos parece bizarro. Pelo menos por enquanto. 

A principal função do professor ainda parece ser a de ensinar, mas este processo precisa passar pelo tramite transferencial, em que a criança vai projetar de si no professor e introjetar em si algo do professor. Aqui temos um dos elementos que mais é acionado na interação professor/aluno, a relação de espelho. O professor espelha na criança o conhecimento, o suporte, a proteção, os afetos. Ao se interagir com o professor a criança identificará com ele elementos que se assemelham aos fatores de sua família, pai e mãe, e também do ambiente de origem. A criança projeta no professor suas necessidades básicas de apoio e proteção e introjeta dele aquilo que de fato ele está tendo condições de oferecer. 

Podemos observar que as crianças, antes mesmo de chegar a escola, já nomeiam objetos para projetar/introjetar dentro da dinâmica de afastamento dos pais. É o que Winnicott chamou de “objeto transicional”, os bichos de pelúcia, a chupeta e muitos outros brinquedos. Assim na evolução da criança até o mundo escolar, haverá uma transferência automática dela para o professor, no processo em que o professor torna-se espelho para o aluno. 

Nesta interação professor/aluno, o professor passa ser a sequência e extensão dos pais. Se esta interação for favorável, a criança vai criar identificação com o professor e desta identificação poderá construir seu processo de aprendizado de forma mais tranquila. Do contrário se o professor não conseguir fazer esta interação de espelho com a criança o processo de pertença e interatividade com o aprendizado pode ser rompido, dai a criança entra em um sofrimento emocional e provavelmente terá seu desenvolvimento educacional comprometido. Por isso que em um equipamento educacional o professor não está sozinho, uma equipe de profissionais e outros professores podem colaborar neste processo de interação com a criança. Muitas vezes, num primeiro momento, a criança pode refutar o seu professor direto, mas a acolhida por toda equipe de trabalho pode trazer a segurança e tranquilidade e depois a possível vinculação ao professor. 

Assim o papel do professor nas escolas, creches, pré escolas e ensino fundamental carrega uma necessidade de potencial de vínculo afetivo no perfil do professor. Uma maturidade relacional e uma prontidão para se desdobrar àqueles que muito necessitam de suporte. 

O professor então, precisa ser um indivíduo maduro pois será exigido dele tanto o conhecimento como o potencial de acolhida afetiva. Uma escola, ao selecionar professores para as tenras idades escolares, não pode simplesmente escolher por serem recém  formados ou estarem em fase de aprendizado. Na verdade são nas séries iniciais que os professores devem ser melhor selecionados e até melhor remunerados. Entretanto no Brasil esta posição é inversa, os professores de segundo grau e universidades são melhores pagos do que os do ensino fundamental fundamental. 

A base de uma carreira educacional está nos primeiros anos de vida. E esta base vai para além dos conteúdos. É uma base de aporte e suporte emocional .Assim, o professor das séries iniciais precisa ter muito conhecimento de conteúdos e de vínculos afetivos para poder espelhar na criança o desejo de desbravar novos conhecimentos e dar a ela certeza que estará sendo acolhida na outra casa sua que não é a da sua própria família, mas sim a escola, onde ela passará por longos períodos nela. 


Compartilhe:

 




Visitas: 2719

Entre em contato