A profissão do olhar diferenciado

Publicado em 07/08/2015



    Sempre que alguém descobre que sou psicólogo, desperta várias reações. Desde aqueles que começam a contar algum caso pessoal pedindo orientação, até os que com receio se fecham e impedem a aproximação por imaginarem que temos a capacidade de ler o pensamento das pessoas.
    Dias atrás, em contato com um amigo, durante uma feijoada que ele mesmo preparava, verbalizou com todas as letras: “Vocês da psicologia são assim mesmo, qualquer coisa já estão analisando as pessoas”. Fiquei preocupado com aquele comentário e identifiquei que achava que isto era muito ruim. Ele contra argumentou dizendo: “Se não for assim, ai você não é psicólogo!”. Na verdade geralmente o que leva alguém a escolher ser um Psicólogo e a capacidade e vocação de escutar os outros e de entender o comportamento alheio.
    Onde vemos um psicólogo atuando, ali tem algo de diferente. Nas empresas que contratam psicólogos, observamos mais abertura ao diálogo nas relações entre os colaboradores. Entre pessoas do cotidiano podemos perceber nítida diferença naqueles que passaram ou passam por análise – é o sujeito analisado – . Depois de uma análise a vida tem novas e boas perspectivas.,o olhar sobre o mundo fica mais amplo.
    Quando uma pessoa é casada com psicólogo ou psicóloga provavelmente vai acabar fazendo uma análise ou psicoterapias, não porque o companheiro profissional pire o cônjuge, mas por que o companheiro formado em psicologia estimula o outro a ver a vida com um olhar diferenciado.
    Também observamos que em Escolas com profissionais de psicologia possuem abertura para a educação inclusiva. Instituições sociais com psicólogo na equipe saem do comodismo assistencialista.
    Lógico que toda regra tem sua exceção, principalmente se a pessoa se tornou Psicólogo pelo acaso ou porque não tinha outra opção.
    A diferença está no olhar. Os psicólogos aprendem a ver pelo buraco da fechadura, para aquilo que quase ninguém está preocupado e buscam além da realidade, não se satisfazendo apenas com o que vêem, mas com a integração de todos os sentidos. No exercício da profissão Psicólogo,  se ficar no senso comum, cairá na mediocridade de sua ação, se apegando a procedimentos estigmatizantes e preconceituosos como é o caso do  foco apenas em aplicação de testes psicológicos, ou mesmo de buscar a fórmula mágica para a cura do outro.
    O olhar diferenciado dos psicólogos tem trazido reais benefícios à organização da sociedade brasileira. Desde o repúdio à diminuição da maioridade penal; até a negação ao Ato Médico, onde sem perceber a sociedade ia engolindo a ideia que a área de saúde deve estar sob o comando dos médicos como mentores da verdade suprema. Os psicólogos se mobilizaram, uniram-se com outros profissionais de saúde e fizeram a população ver que o Ato Médico seria o retorno a idade média ou a implantação de um sistema de quarto mundo.
    Graças ao olhar diferenciado dos psicólogos, crianças e adolescentes ainda podem ter no Estatuto da Criança uma proteção, enquanto outras categorias profissionais insistem em avaliar o ECA como malefícios para o zelo desta faixa etária.
    No dia 27 de agosto comemora-se o dia do psicólogo, profissão movida por necessidades de talentos como persuasão; versatilidade;  flexibilidade; escuta; etc. No  Brasil, os psicólogos são protegidos por Lei Federal e estão estruturados por Conselhos Regionais. Sempre estive presente nas organizações de categoria e durante oito anos consecutivos estive como  Conselheiro Efetivo do CRP 016/ES. Pois entendi que não basta ser formado em Psicologia para tornar-se um Psicólogo, é preciso estar inscrito no CRP. Como o sistema Conselho é um instrumento de organização e exercício ético da profissão, fui colaborando com a categoria envolvendo-me voluntariamente na sua construção. Quando observo profissionais da área com pouca inserção na organização da categoria, fico preocupado de estar me deparando com um sujeito isolado em si e com pouca percepção do olhar diferenciado da Psicologia que é a construção na ação coletiva.
    Com esta profissão, há 25 anos venho trilhando crescimentos pessoais e familiares, e construindo um leque enorme de perspectivas para grupos, instituições e pessoas individualmente. Há 30 anos escolhi a psicologia com a certeza de um  futuro profissional promissor. Hoje, posso confirmar que estou nela por ver que ainda continua sendo uma profissão em expansão, pelo leque enorme de possibilidades de intervenções.
    Até a TV brasileira já não sabe conviver mais sem a presença de profissional de psicologia para debater ideias e esclarecer a população das necessidades psíquicas do cotidiano. Com tudo isto, é sempre bom procurar ajuda de um psicólogo, de preferência que seja devidamente registrado no Conselho Regional de Psicologia.


Compartilhe:

 




Visitas: 434

Entre em contato