PESQUISA CONFIRMA: CELULAR FAZ ALUNO PIORAR NOS ESTUDOS.

Publicado em 04/10/2018


Em recente estudo desenvolvido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em abril de 2016, observou-se que alunos que usam com frequência o celular em momentos de estudo dirigido apresentam piora nas notas de provas avaliativas, e alunos que usam o celular em sala de aula pioram em dobro o resultado das notas. 

A metodologia da pesquisa constituiu em monitorar por 14 dias, 43 alunos do 4° semestre do curso de Administração. Os alunos permitiram a implantação de um aplicativo nos seus celulares para que fosse medido o tempo de manuseio do mesmo. Assim, ao usar o celular os alunos seriam cronometrados.

O primeiro resultado assustador foi para os próprios estudantes, pois estes achavam que utilizavam o celular por menos tempo do que o aplicativo detectou. A média observada foi de 230 minutos por dia (quase 4 horas) o que representou 48,5% a mais de tempo que os estudantes imaginavam.

Nesta pesquisa, a FGV criou uma tabela de ranking para os alunos, a fim de mensurar o impacto no desempenho que o uso do celular pode causar.  A cada 100 minutos/dia no celular, o aluno recua 6,3 pontos no ranking. A partir daí, constatou que um estudante pontuado entre os 5 melhores da turma, a cada 100 minutos/dia no celular, pulava para a centésima colocação. Este resultado piora em dobro quando o celular é usado em sala de aula. 

Esta questão é tão séria e os resultados são sempre estarrecedores em diferentes partes do planeta em que há pesquisas sobre o uso do celular entre estudantes e jovens, que podemos concluir que as escolas e universidades precisam ter uma forma de controle do celular no sistema educacional, assim também como as famílias precisam monitorar seus filhos no uso do aparelho.

Esta pesquisa da FGV foi realizada entre jovens universitários que supostamente possuem maturidade para se posicionarem diante de suas escolhas e atividades. Prova que o celular possui uma força persuasiva que atinge até os supostamente mais amadurecidos. Imagine como fica a cabeça de uma criança que já tem no celular um grande parceiro para brincar, um aliado quase que 24 horas. 

O governo Francês proibiu o uso de celular na escola devido a percepção de quanto mal fazia aos alunos daquele país. Vamos observar como o governo brasileiro vai se posicionar diante desta questão. 

Enquanto isso, é melhor os pais tomarem consciência e pautarem uma disciplina em defesa do potencial cognitivo de seus filhos.


Compartilhe:

 




Visitas: 608

Entre em contato