Saúde emocional potencializada - Diferença entre relaxamento, meditação e espiritualidade

Publicado em 23/10/2020


O tema que abordo neste texto é decorrente de minha percepção acerca do crescimento de pessoas procurando por meditação em plena pandemia da COVID-19. Esta procura é associada com a necessidade de buscar um auxílio para o controle da ansiedade e de outros transtornos emocionais consequentes do isolamento social. Assim, multiplicaram os vídeos pelas redes sociais orientando sobre o ato de meditar.


Mas a confusão que tenho observado, dentre muitos pacientes que atendo e também pelas muitas orientações que parei para assistir nestes vídeos, está entre achar que o relaxamento comandado pela mente é o mesmo que a meditação e que a meditação é espiritualidade. Por pequenos detalhes, estes três conceitos são bem diferentes e ao mesmo tempo são muito próximos. Por este motivo vou apresentar as diferenças e depois mostrar como cada um destes conceitos pode estar muito próximos.


Relaxamento corporal

relaxamento corporal provocado pelo ato mental, que integra corpo e mente, os quais não estão separados, é quando a pessoa utiliza de algum recurso de indução mental para relaxar o corpo como um todo.


Um processo que normalmente acontece com a pessoa deitada, sentada ou mesmo em pé, com os olhos fechados e enviando imaginações de relaxamento para as diferentes partes do corpo, o que pode parecer que a pessoa está em meditação. Mas simplesmente está comandando, pela sua indução pessoal ou com o auxílio de comandos externos, o relaxamento muscular, podendo ser para todo o corpo ou de partes do corpo até chegar ao todo.


Neste processo, a mente de fato pode entrar em uma zona de relaxamento após todo o corpo estar relaxado, o que para muitos que trabalham com estas técnicas dizem “estado alfa”. Muitos chegam até a dormir. Aliás, é um santo remédio para começar a dormir à noite, principalmente para quem tem sintomas de insônia.


Meditação

meditação tem como objetivo introduzir pensamentos que estimulem sentimentos positivos e ou reflexivos, ou mesmo a contemplação de algo. Geralmente é utilizada ou iniciada quando corpo e mente estão plenamente relaxados, ai sim o relaxamento pode ser um recurso de iniciação da meditação.


Porém, há formas de meditar que necessariamente não se utiliza do relaxamento como preparação para entrar em meditação. Por exemplo, a pessoa pode estar sentada em uma praça e meditar sobre as plantas desta praça, associando com as belezas da natureza, ou ficar diante do pôr-do-sol e deixar-se levar pelo infinito do horizonte.


Também pela meditação a pessoa pode fortalecer algum estudo que queira fixar ou sentimentos que queira fortalecer, lembranças que a estimule ao bem-estar mental. Na meditação não cabe jogar questões, colocando a mente em pleno debate interno. Geralmente pode ser um passo para a introdução de reflexões religiosas ou de integração espiritual.


Espiritualidade

Chegamos assim na espiritualidade. Dizer que pelo fato da pessoa relaxar ou meditar ela está fortalecendo a sua espiritualidade, não é muito adequado, mesmo sabendo que a prática da espiritualidade muito depende da meditação. Meditar naquilo que se acredita.


A espiritualidade está diretamente relacionada com uma crença, independente de se ter religião ou não. Nem toda pessoa que pratica religião possui espiritualidade e nem toda pessoa que tem uma espiritualidade pratica religião.


A espiritualidade está relacionada com a necessidade do ser humano estar vinculado a um ser superior, em uma relação de agradecimento, reverência e de integração com este ser. O sujeito com vida espiritual é aquele que precisa de um suporte divino, está sim relacionado a um ato de fé, uma crença.


Pode ser associada a uma religião ou não, como por exemplo, aqueles que creem em uma Divindade sem um vínculo religioso, onde em tudo acredita ter a mão desta Divindade, estes chamamos agnósticos. Por isto que muitas vezes falamos que determinado líder religioso não tem um semblante de espiritualidade, pois provavelmente só pratica a religião por regras, dogmas e ou submissão. Outros muitos sem prática religiosa conseguem passar uma forte espiritualidade, pois estão em sintonia com as forças divinas que acreditam.


Como estes três conceitos auxiliam na saúde mental e corporal

Quando alguém afirmar que faz meditação e usa o exercício de respiração, de auto percepção da respiração apenas para sentir o prazer de relaxar, ela não está meditando. Mas se ela diz que pelo ato de respirar ela entra em profunda integração com seu corpo em plena relação de gratidão por ser, existir, ai podemos dizer que do relaxamento entrou a meditação.


E se ao meditar sobre a sua respiração, começar a orar a partir de referenciais religiosos, ai sim está meditando para o fortalecimento de sua fé e prática religiosa, sua espiritualidade. Por isto que tendemos a confundir estes três conceitos, pois são mecanismos que podem um ajudar ao outro na busca pelo bem-estar corporal, mental e espiritual.


Geralmente as pessoas utilizam estimulações de condutores de mensagens para atingir o resultado do relaxamento, meditação e até da prática da espiritualidade. Este pode ser um bom recurso para quem está iniciando estas práticas.


Mas o melhor caminho é após aprender os procedimentos orientados por um instrutor, começar a fazer o processo por si mesmo, pois estes mecanismos também podem conduzir as pessoas à autonomia de si, e à consequente maturidade. Se o processo for sempre sob indução, não se desenvolve o potencial de utilizar destes recursos em qualquer ambiente, mesmo sem os estímulos internos.


Lembro aqui de uma oportunidade que desenvolvi um curso sobre o ato de ouvir para professores de ensino fundamental I (primeiro ao quinto ano), solicitei que os professores exercitassem o relaxamento pela escuta de sons até chegar a sons mais distantes possíveis do ambiente da escola. Depois solicitei que fizesse o exercício de escuta no momento do intervalo da escola, mas tentando ouvir as vozes das crianças e identificar com os olhos fechados quais eram as crianças que cada professor ministrava aula, apenas pela audição. No primeiro momento, os professores acharam que não conseguiriam, mas o resultado foi muito favorável, onde ajudamos a perceber que relaxar, meditar e espiritualizar, pode ser realizado em qualquer lugar a qualquer momento.


Mas para isto, é preciso saber entender as diferenças destes conceitos, para depois saber integrá-los. Exercícios que de fato podem nos conduzir a uma autonomia. Por isso que já temos muitos relatos de pessoas que conseguiram retirar medicações para dormir, por causa da insônia, pela prática do relaxamento ou da meditação ou da espiritualização antes de dormir, pois ao chegarem ao nível de autonomia já não precisam de uma muleta medicamentosa para sua saúde mental.


Compartilhe:

 




Visitas: 43

Entre em contato