A importância do hábito de ler livros

Publicado em 16/03/2021

Tenho insistido na questão do hábito de leitura de livros. Dentro do desenvolvimento cognitivo humano, o legado da leitura é o que nos coloca em contato com uma das principais simbologias de nossa espécie humana, e o livro é um marco referencial de arquivo de nossa escrita e dos registros de nosso pensamento.


Lembrando que a primeira biblioteca no planeta, da qual ainda temos conhecimento, é datada do ano 7 A.C., que é a Biblioteca de Nínive, no atual Iraque, construída pelo rei Assurbanipal II, onde encontraram-se 25 mil placas de argila com textos em cuneiforme.Por sermos uma espécie com o tele-encéfalo altamente desenvolvido, que nos dá a condição para pensar, falar, escrever e ler, temos na leitura o ápice desta evolução.


É preciso desejar ler!

Mas sabemos que somos uma espécie animal, antes mesmo de sermos humanos. Até podemos não desenvolver as capacidades cognitivas de humanos, se, ao nascer, não formos ambientados para este desenvolvimento. Inclusive, se, nos primeiros meses de vida, faltar alimentos básicos para a estruturação fisiológica do cérebro, o sujeito poderá ter disfunções graves para posteriormente desenvolver o potencial de aprendizado. Além do mais o ato de ler requer, para crianças e adultos, um processo de experiência que conduza ao desejo de ler.


Eu tive uma infância com baixo índice de leitura, mas via meus pais lerem bastante. Desenvolvi um processo de dislexia leve, que só fui descobrir quando estava no segundo ano da minha graduação em Psicologia pela Unesp de Assis-SP. Mas foi na Universidade que tive que criar o hábito de leitura mais sistematizado, pois “lia ou lia”, não tinha opção. Venho de um processo universitário em que a cada disciplina era um livro para ler, havia semanas que se acumulavam até oito livros. De um caipira que lia pouco, passei a ser um acadêmico dedicado. Meu professor Gil, de Antropologia, na época, dizia que precisávamos construir nossa biblioteca, e pelo menos, terminar os cinco anos de graduação tendo lido 2000 livros. Hoje me disciplino com a meta de ler seis livros ou 1200 páginas por mês. E tento fazer isso como meta. Pois sei que de “gente para papagaio é um passo”.


A leitura é um estimulante eficiente para o cérebro!

A Leitura nos coloca em pleno exercício de nosso cérebro altamente desenvolvido em relação a todos os outros animais. Tudo bem que já tem gente dizendo que um dia cachorro vai ler.


Pela leitura entramos no mundo do conhecimento, é uma viagem no ontem, no hoje e no amanhã. Uma das coisas boas que o Enem trouxe foi a supervalorização da redação, que entra como uma média específica dentro de cinco áreas de avaliação e, em muitas universidades, ou na maioria delas, a redação terá peso quatro, mesmo em cursos de exatas. Para se fazer uma boa redação, a leitura abre um leque formidável.


Ler representa conhecer mais, e se conduzir ao exercício da fantasia, dos desejos. Por isso diversifico minhas leituras entre textos técnicos/científicos, que ampliam meus conhecimentos profissionais, e textos literários que me fazem criar e fantasiar personagens, ambientes, conhecer outras culturas e povos; textos de formação espiritual, por ter esta necessidade; historiografias, para buscar referencias em quem já teve uma trajetória interessante na vida; poesias, que me fazem transbordar minha alma de encanto e gozos.


Crie o hábito da leitura!

Mas para quem não tem ainda o habito desejante de ler, indico que comecem devagar. Comecem lendo livros com poucas páginas. Se proponha a ler pelo menos cinco páginas por dia, e vai evoluindo mês a mês. Hoje, com apenas 40 páginas por dia, consigo me projetar a 1200 paginas no mês. Mas você pode me perguntar: Precisa ser desta forma? Lógico que não. Você pode encontrar o seu caminho. Porém, não acredite que é simples.


Não é tão fácil ler e criar hábito de leitura em um país que a média de livros lidos por ano dentre os que sabem ler é de 2,4 livros/ano/percapita. Lembrando que 70% de nossa população é analfabeta funcional, que só conseguem praticamente entender uma frase e possuem dificuldade de interpretar um parágrafo. É difícil também porque somos educados para as atividades práticas do cotidiano. E ler é uma atividade teórica. Imaginem, quando eu era criança, brincávamos com os nossos amigos que estudavam mais que eles iam ficar loucos. Que ler muito deixava a pessoa fora da realidade.


Este hábito, para quem ainda tem filhos pequenos, pode ser estimulado com os pais lendo juntos, e também com os pais lendo com frequência seus livros pessoais. Eu desenvolvi meu hábito de leitura por todo o processo de esforço que me propus, mas tinha uma referência positiva nos meus pais que liam com frequência. Lembrem que a escola estimula a leitura, mas quem leva ao encantamento da leitura são os pais ou quem cuida, no cotidiano da família.


Compartilhe:

 




Visitas: 126

Entre em contato