O pensamento de Winnicott para pais e professores - Sobre Winnicott

Publicado em 04/05/2021

Nascido em abril de 1896, na Inglaterra, e falecido em janeiro de 1971, também na Inglaterra, Winnicott foi Pediatra e depois trilhou a formação de Psicanalista sob orientação de Melanie Klein, grande nome da Psicanálise inglesa que construiu os principais referenciais teóricos da Psicanálise infantil, sendo considerada a pioneira no atendimento de crianças dentro deste referencial. Assim, sob a influência de Melanie Klein, Winnicott, com sua formação Médica Pediátrica, acabou construindo seu próprio referencial teórico para o atendimento de crianças e adolescentes. Tornou-se líder da sociedade Britânica de Psicanálise Independente, e por duas vezes foi Presidente da Sociedade Britânica de Psicanálise (1956-1959 e 1965-1968).


Winnicott, e sua influência em minha clínica psicológica


Winnicott foi qualificado como analista pela Sociedade Britânica de Psicanálise, em 1934, e depois como analista de criança em 1935. Durante a Segunda Guerra Mundial, atuou como consultor em pediatria no programa de evacuação de crianças, fato que colaborou decisivamente na elaboração teórica de Winnicott, por lidar diretamente com perdas de vínculos afetivos em crianças que se tornaram órfãos devido a Guerra. Neste período, ele acabou participando de um programa de rádio da BBC que, no inicio de 1943, tinha o título de “Happy Children”, e durou até 1966. Com isto, Winnicott acabou desenvolvendo sua construção teórica de forma direta e de fácil entendimento, o que lhe valeu também perseguição e ataque de membros da Sociedade Psicanalítica internacional, que o consideravam superficial e de intervenção cognitiva (induzidas). Porém, estes ataques vinham de grupos “nobres” da Psicanálise internacional da época, principalmente da escola francesa, que, a partir dos escritos de Lacan, o “quase indecifrável” por ter uma escrita rebuscada de códigos e muito intelectualizada. Neste sentido, os escritos de Winnicott eram quase considerados “rasos”. Como já dizia meu ex-supervisor clínico, Maurício Knobel, Psiquiatra Psicanalista e Professor Emérito da UNICAMP, “Muitos Psicanalistas escrevem e falam difícil para encobrir a própria ignorância” (fala em supervisão). Knobel também vem desta estirpe da teoria do vínculo a partir de Melanie Klein, a qual influenciou a escola Argentina de Psicanálise a partir de Arminda Aberastury, também Psicanalista Argentina que foi orientanda de Klein. Na Argentina, a psicanálise trilhou também uma via social e de interatividade sócio/político/cultural, o que valeu para a maioria dos principais membros da Sociedade de Psicanálise de lá o exílio para várias regiões do planeta, devido ao golpe militar em 1976. Por este histórico que acabei entrando nesta vertente da Psicanálise.


Chego a Winnicott por uma identificação muito forte com o perfil e histórico prático deste pensador, e também por não me considerar, na época da Universidade, já nas etapas finais de formação entre 1988 e 1990, capaz de manusear conceitos psicanalíticos complexos que me davam a sensação de ler tratados de física e matemática. Dizia que não escolhi ser psicólogo para manusear pensamentos exatos. Neste pensamento direto, prático e profundo de Winnicott, eu via a grande possibilidade de desenvolver processos de profilaxia e saúde emocional dentro de intervenções públicas e populares, como também no meio educacional.


Acompanhe uma nova série de vídeos e textos sobre Winnicott


Neste sentido que, nesta série que proponho escrever de textos e simultaneamente de vídeos para o meu canal do Youtube ( Abarca Psicologo ) , trago alguns pontos sucintos da teoria de Winnicott para pais e educadores, que constantemente estão em contínuo dilema sobre o processo educacional e os vínculos afetivos que esta interatividade requer com as crianças e adolescentes.


Espero que você possa seguir estes passos numa viagem breve por escritos de Winnicott, na qual seguirei por alguns textos traduzidos no Brasil numa sequência cronológica, respeitando especificamente a demanda que julgo importante para pais e educadores.


Na sequência temática teremos o primeiro vídeo e texto com o tema: O Brinquedo e o Brincar.







Compartilhe:

 




Visitas: 57

Entre em contato