Misógino - A doença do homem

Publicado em 15/12/2015




A palavra misógino origina-se de miso (odiar) gyne (mulher). Este conceito de Misógino era muito utilizado para descrever genocidas, estupradores, etc. Mas a Drª Susan Foward – (Psicóloga Americana) passou a utilizar este conceito para caracterizar homens que apresentam alguns comportamentos diante das mulheres que amam, como: Ele controla como a mulher vive e se comporta; Exige que a mulher renuncie a tudo para mantê-lo feliz; menospreza as opiniões sentimentos e realizações da mulher; grita, ameaça e sai furioso e em silêncio quando a mulher o desagrada; a mulher do misógino vive “pisando em ovos”para não irritá-lo, pois ele se irrita facilmente; Passa do charme para raiva de forma inesperada; Ele deixa a mulher confusa, inadequada e desequilibrada; É extremamente ciumento e possessivo; Culpa a mulher por tudo que está errado no relacionamento.

A construção de patologia do masculino, o Misógino, é estabelecida a partir do vínculo conturbado com a mãe. Geralmente são homens que  passaram por traumas relacionais com a pessoa da mãe, ou tiveram vínculos extremamente possessivos. Que ao tornarem-se adultos, transferem na forma de relacionamento projetivo para com as mulheres que os amam. Por isto, é possível vermos homens matar suas esposas ou destruí-las gradativamente mesmo as amando.

Mas você pode estar se perguntando como que uma mulher consegue também amar e se vincular a um homem que a destrói? O processo de início  do vínculo, como namoro, noivado, se da  justamente na fase de encantamento, onde  o homem Misógino camuflar sua patologia, pois necessita conquistar a presa para posterior ataque. Também a mulher deixa-se envolver pelo galanteio do Misógino, pois este se apresenta com muito charme e elegância. Desta maneira, após anos de vínculo conjugal, muitas mulheres começam a sofrer emocionalmente pela opressão do companheiro Misógino. Quando procuram ajuda emocional por também estarem dependentes deste relacionamento, elas começam a descobrir que no início do namoro, ou da paixão, o seu companheiro já apresentava traços patológicos no qual ela não imaginava que pudesse ser detectado ou que com o tempo superaria.

No namoro, ele a levou para jantar, ao chegar no restaurante puxara-lhe a cadeira em primeiro lugar colocando-na na mesa, solicitou jantar à luz de velas e ofereceu-lhe  um presente logo de entrada, uma joia ou coisa assim. Durante o jantar, ela  sem querer, derrubou o vinho sobre a mesa e ele em uma reação imediata a atacava dizendo: -  “Você é uma idiota” – em voz alta. Ela pondera, pois acha que errou, mas fica com um sentimento de estranheza pela reação dele e lógico com vergonha, pois todos ao redor presenciaram  a cena.

Neste fragmento de cena, já tínhamos um Misógino camuflado. Ela acreditava que o tempo o levaria a mudar, mas para o Misógino, após a conquista, o tempo só leva a intensificar a patologia.

Para as mulheres que ainda estão em processo de estabelecimento de vínculo com um homem que apresente  traços Misóginos, é melhor se reposicionar para ver se vale a pena continuar se aprofundando neste vínculo. Para as mulheres que já estão casadas com um Misógino, há possibilidades de cura e melhoria de relacionamento, mas para isto requer um posicionamento firme e sem medos por parte da mulher.

Aos homens  Misóginos, um processo de suporte terapêutico pode ajudá-los a se reencontrar com sua história de vínculo afetivo e reelaborar posicionamentos.Porém, poucos são os homens que vão aceitar ou reconhecer este tipo de comportamento como patológico. Geralmente dizem que é comportamento normal de homem. Para as mulheres cujo maridos continuam insistindo nesta posição, é sempre bom lembrar que ninguém é de ninguém, e nascemos para a construção da felicidade. Persistir neste caminho é escolher o sofrimento e a morte pessoal. 


Compartilhe:

 




Visitas: 5485

Entre em contato