A simbologia do fim e começo de ano

Publicado em 31/12/2015


O ano acaba? Outro começa? Se observarmos bem, a vida é contínua. Nada acaba e nada começa enquanto ciclo de anos. Esta invenção humana é uma simbologia que de fato ajuda a nos pautarmos na história. Milênios, séculos, décadas, anos.

Nosso calendário ocidental, diferente de algumas outras regiões do planeta, como na China. Enfim, uma simbologia, isto é, uma forma de darmos sentido ao que seria muito estranho: viver ininterruptamente sem finais de ano, férias, etc. Tudo bem que  um dia inventaram o ciclo climático que anualmente segue períodos diferenciados. Mas não sabemos se de fato podemos nos apegar a isso. Olha aí as enchentes na Inglaterra em pleno período de inverno.
Seria de fato muito chato se a vida seguisse uma linha reta. Vivermos a fantasia simbólica de final e inicio de ano, trás em nossa alma um sentimento de dever cumprido, parada para balanço, retomada de caminhada, novos projetos.

O dia 31 de dezembro é institucionalizado como o dia da Esperança. Esta palavrinha também muito simbólica que representa tudo o que desejamos do amanhã. Mas na condição conjugada de quem não fica na espera, mas sim esperando, como se buscando os sonhos não passivamente, mas conquistando-os. Esperança é uma palavra de movimento, que nos coloca na condição de busca. Interessante nominar este dia como o dia da esperança. Poderia ser o dia do descanso, por tudo que fizemos  em 2015. Mas não, é um dia para estarmos alertas, nos projetando.

Projetando para um novo ano, 2016. Um dia que intitulamos como o dia da Paz. Termino com a Esperança, começo com a Paz. A Paz, a maior de todas as esperanças. Como já dizia Dom Luciano Mendes, in memória, que sempre lembrava-nos : “Justiça é o novo nome da Paz”. Uma Paz que só nascerá pela justiça. Mesmo sabendo que estamos a quilômetros de distância da justiça pelo planeta, desejamos e sonhamos com a Paz. Justiça e Paz tornam-se sinônimos.
A Esperança de 2015, deste dia 31 de dezembro torna-se ainda mais um movimento com força quando já visualizamos para a Paz do dia 1 de Janeiro. Principalmente dentro desta perspectiva de que a Paz é a prática da Justiça.

Mas o que é a justiça? Vou dar um pequeno exemplo do que é a Injustiça, ou  o contrário da Justiça: Estava na praia agora pela manhã deste dia 31 de dezembro e conversando com uma senhora que servia em uma barraca da praia, ela dizia que trabalha  como doméstica. Sua patroa é empresária e neste ano ainda não pagara os  salários e décimo terceiro dos funcionários da empresa e nem o dela de doméstica.  Mas a patroa estava no Rio de Janeiro curtindo a passagem de ano em Copacabana.
Que passemos este final de ano na Esperança, e tenhamos um início de 2016 na Paz.
Uma Paz que seja o resultado da conquista da Justiça.


Compartilhe:

 




Visitas: 339

Entre em contato