As festas chegam e passam, mas a depressão permanece! Cuide-se

Publicado em 03/03/2016


Final de ano chegou e a depressão existencial dá um suspiro como quando abrimos a janela do quarto de um hotel fazenda logo bem cedinho. O sol invade o quarto e o canto dos pássaros invade nossa alma, as flores do jardim sorriem para nós, ali tudo é felicidade.

A depressão trancafiada o ano inteiro dentro do indivíduo, ao ver chegar o natal, ano novo, janeiro de verão e logo em seguida o carnaval, dá o ar de que não habita mais no pensamento. Como um sopro de vento na brisa da manhã, vem, sopra, e leva a depressão embora. 

Interrompe o remédio do tratamento psiquiátrico, abandona a psicoterapia. Adia o início de um tratamento. Agora a vida segue em festas. Mas depois da quarta feira de cinzas, o mundo volta a girar no seu ciclo normal. 

O Cotidiano assola e engaiola novamente o pensamento. É como fechar a janela do quarto de hotel fazenda, pois lá, no horizonte surgi o temporal. O quarto volta a ficar escuro. Parece que o mundo não girou e tudo está novamente tenebroso. Sinal que se as festas passaram, e o sentimento de depressão ficou, é porque a depressão existe, é real e precisa ser tratada. 

Agora resta decidir, se espera as festas de final/início de ano chegar novamente ou se inicia um tratamento adequado. 
 
O alerta é: se não corrigir a depressão em tempo, ela inunda a alma e torna-se uma patologia permanente na estrutura de personalidade do indivíduo. Daí a única saída é apenas manter-se deprimido e sobreviver. 

Para que isso não aconteça, escolha pela psicoterapia e se necessário o suporte medicamentoso. Para que um dia, a cada dia, sua vida se transforme num contínuo estado de festa.


Compartilhe:

 




Visitas: 320

Entre em contato